domingo, 9 de novembro de 2008

MANIF - 8 de Novembro

video

O Norte abriu a maior Manifestação alguma vez realizada em Portugal, por uma única classe profissional! Os Professores do Agrupamento Vertical de Escolas Oeste da Colina marcaram, em força, a sua presença.
Os docentes que se manifestaram em Lisboa aprovaram a realização de uma greve nacional para 19 de Janeiro contra o modelo de avaliação de desempenho, que o Ministério da Educação rejeita suspender.
Uma manifestação EM GRANDE, que reuniu entre 120 e 150 mil professores de todos os quadrantes políticos, em início e final de carreira, em torno de problemas comuns resultantes da aprovação do actual Estatuto da Carreira Docente.

Convém esclarecer alguns motivos que conduziram muitos destes professores a esta tomada de posição:

* os normativos que regulamentam a Avaliação de Desempenho Docente, condicionam a avaliação dos docentes aos resultados escolares dos alunos, quando estes não são em exclusivo da responsabilidade dos professores - a situação sócio-económica e cultural das famílias, o esforço/vontade por parte dos alunos e o acompanhamento/incentivo ao estudo por parte dos pais não serão também condicionantes do sucesso escolar?

* o abandono escolar por parte dos alunos, pela diversidade dos factores a que está associado, transcende a esfera de intervenção dos professores, razão pela qual não pode ser imputada aos professores. Por que motivo a avaliação dos professores é condicionada pelo abandono escolar dos seus alunos?

* aos professores avaliadores compete avaliar a preparação e realização das actividades lectivas dos colegas ... Será correcto e justo um docente ser avaliado por outro com perfil de formação científica diferente da do avaliado, quando é suposto efectuar a avaliação da vertente científico-pedagógica? Haverá igualdade/justiça quando avalia um professor da sua área científica e outro de área científica distinta?

* as quotas para a atribuição de Excelente e Muito Bom aos professores dependem mais uma vez dos resultados escolares dos alunos uma vez que são dependentes da avaliação externa realizada às escolas, na vertente Resultados Escolares? Os professores acabam por ser duplamente penalizados pelos resultados escolares dos alunos da escola onde leccionam!

Outros motivos uniram os professores em volta desta manifestação tal como os pressupostos/condicionantes do concurso que levou à divisão da carreira em professores titulares e não titulares e a obrigatoriedade de realização de prova de ingresso na profissão para quem concluiu cursos dirigidos ao ensino em Universidades ou escolas Superiores de Educação.

Professora Teresa Barbosa

1 comentário:

Margarida disse...

Eu também lá estive!!! E estaremos todos, sempre... que tal se justifique! Avante!